quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Aluno chama “frustrado” a professor e acaba suspenso


Um aluno do 10.º ano da Escola Secundária Jácome Ratton, em Tomar, queixa-se que o professor de Economia o terá agredido no decorrer de uma aula que já não começou bem mas o Conselho Executivo nega a existência de qualquer agressão e justifica a suspensão devido a um acumular de situações de mau comportamento por parte do aluno.

O caso aconteceu na quarta-feira, dia 16 de Janeiro, pelas 16 horas.
O professor terá perdido as estribeiras quando o aluno o chamou de “frustrado” e empurrou-o para cima de mesa e uma cadeira, após o que este caiu no chão. De seguida, e segundo este aluno, os colegas solidarizaram-se com o jovem e foram, em grupo, explicar a situação ao Conselho Executivo, reunião onde o professor não falou por se mostrar muito nervoso com toda a situação, abandonando a escola em seguida.
Leandro Domingos, 19 anos, disse a “O Templário” que a aula de Economia “já tinha começado mal”, estando o professor muito exaltado desde o início da mesma e que este já tinha colocado “metade da turma na rua” por coisas mínimas ao que o aluno lhe terá chamado a atenção referindo que este comportamento só poderia advir do facto deste estar “frustado”. Chamado à atenção pelo professor, que lecciona naquela escola há 18 anos, Leandro Domingos terá voltado a insistir que o facto do docente mandar tantos alunos para a rua só poderia ser “frustração” e foi aí que a situação ganhou contornos mais graves.
“O professor, desde o princípio do ano, vem criando mal-estar na aula e manda toda a gente para a rua, por coisas mínimas. Nesta aula não consegui aguentar mais o professor assim e disse-lhe para ir ao psicólogo porque devia estar frustado ao que ele vira-se de costas e disse-me que dava um estalo”, contou o aluno. Após a ameaça de estalos por parte do docente o aluno voltou a ripostar: “Dá-me um estalo: isso é mesmo frustração”. Foi aí que, segundo o aluno, o professor virou costas e mandou-o para cima de uma mesa e cadeira, após o que ficou estatelado no chão.
Os alunos não podem bater num professor mas os professores podem agarrar num aluno e mandá-lo para cima de uma cadeira e não lhes acontece nada”, apontou outro aluno, primo do visado, revoltado com a suspensão do colega.
Leandro Domingos, aluno do curso de Informática de Gestão, é repetente do 10.º ano pela terceira vez. Vive com os avós nos arredores da cidade e é apontado pelos professores como um aluno com problemas de comportamento. Apesar disso, foi a primeira vez que foi suspenso. “Posso ter alguma culpa mas não acho que o que eu disse justifica o que ele fez”, remata o jovem.
Maria João Morais, do Conselho Executivo, explicou a “O Templário” que “não houve qualquer agressão” e que a suspensão do aluno resultou de “um acumular de situações”.

2 comentários:

M@ster_J4ckass disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
M@ster_J4ckass disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.